Análises

Análise: CD Quebrantado Coração – Fernanda Brum

analise fer um quebrantado coracao

NOTA: Este texto era parte integrante da coluna Destrinchando, do antigo portal Gospel Músikas, hoje parte do O Propagador. Pela fusão dos portais, todos os textos do Destrinchando estão na coluna de análises/resenhas de discos.


Qual é o órgão mais importante do corpo humano? Certa vez Hipócrates (grande médico e figura importante na história da saúde) disse: “Os homens devem saber que do cérebro, e só do cérebro, derivam prazer, alegria, riso e divertimento, assim como tristeza, pena, dor e medo”. De fato, o cérebro é o centro diretor de toda a atividade humana, mas na bíblia, o coração é descrito como esse centro que envolve todo o nosso intelecto e emoção, e a sua conotação ao ser sempre ligado a nobres sentimentos, não é por menos: ele tem uma grande importância para nós.

Em 2002, Fernanda Brum juntamente com Emerson Pinheiro, resolveram pulsar e discorrer sobre a maior fonte dos desejos e das decisões – de acordo com a Bíblia – no CD Quebrantado Coração – que em 2013 recebeu disco de platina pelas 350 mil cópias vendidas.

O disco segue fielmente as escrituras bíblicas, colocando o “coração” como o centro das emoções e da vontade humana. Salomão, no livro de Provérbios o descreveu como “dele procedem as saídas da vida”. Biblicamente, em 13 canções, com destreza de palavras e agilidade no raciocínio, o disco enumera as principais funções de atividades do coração que ocorrem na vontade humana, contrariando Hipócrates.

 “Amo o Senhor, meu Salvador, anelo tê-lo bem junto a mim”

Iniciando com “Amo Senhor, que nos traz referências de um coração amoroso. No livro de Deuteronômio, em que Moisés exorta a Israel que Deus anela comunhão com o seu povo e lhe dá o único e indispensável mandamento que é: “Amarás, pois o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma”. Em seguida, temos a canção-tema “Um Quebrantado coração”, que nos leva a uma passagem de Isaías mencionando um coração avivado e ardente pela palavra do Senhor. Para os humildes e arrependidos, Deus tinha uma promessa magnífica: Mesmo morando no Alto e sublime trono, ele habitaria com os “contritos e abatidos de espírito”, referindo-se aos quebrantados de coração, para vivificar-lhes o espírito, dar um novo vigor e um consolo de sua presença.

 “Não faz mal, eu sei que a dor no peito cega a gente […] Tudo bem, eu sei em quem tenho crido”

Um coração angustiado, perturbado, pesaroso, que clama por paz e conforto são descrito nas faixas “Ele é Por Mim, Marcas” e “Lembranças de Jesus. Uma vida cheia de inquietação é resultado de perseguição, injustiça, tristeza e mágoas de acordo com Jó no capítulo 14. No livro de Jeremias, em determinado momento ele sentiu a agonia que Deus sentia por Judá, e pela desolação que sofreriam, e sentiu essa agonia aonde? “Estou ferido no meu coração!”. Paulo, no livro de Romanos, por causa da incredulidade de Israel, afirmou ter “grande tristeza e contínua dor no coração”. Mas em todos os momentos, sabemos quem é por nós e quem nunca nos desampara. Deus anseia que todos os seus filhos que sofrem saibam que a vitória está perto. O dia em que Ele estará junto aos seus, na glória, para sempre. Pois as aflições deste tempo presente não se comparam com a glória que nos será revelada (Rm 8:18).

 “Adorar a Deus, vai além das emoções. É o Santo Espírito tocando e transformando os corações”

As canções “Vaso de Alabastro”, “Tempo de Crescer” e “Espírito Santo” intensificam e fortalece o preceito do disco, nos apresentando um coração de adorador. Que se regozija em Deus, e não se limita em palavras. A adoração tem que ser precisa e autêntica, quando o Espírito Santo intervém e responde a Deus. Enquanto o homem apenas vê a aparência, quando adoramos ao Senhor em espírito e em verdade, Ele vai além de nossas palavras e emoções para reparar na postura de nosso coração. Precisamos nos apresentar perante a Deus como servos que conferem as coisas, meditam e oram no coração. Davi, no livro de Salmos, ressalta que a única maneira de reconhecermos a obra da salvação, é “orando para que Deus mantenha nosso coração, palavras e vida livres de pecados e agradáveis a Ele.” A nossa reflexão deve ser aceitável diante de Deus

 “Se tua vida está em Cristo, o mal não pode te tocar […] Ninguém jamais vai me deter”

De acordo com a bíblia, no coração os humanos sabem coisas, oram, pensam e também maquinam males, como é decorrida na faixa “A Palavra Tem poder”. Mas o salmista Davi no capítulo 27 pediu para que animássemos no Senhor, que assim, Ele fortaleceria o nosso coração, dando-nos um coração corajoso e alegre. As canções “Ninguém Vai me Deter” e “Canaã” com um refrão instantaneamente identificável e feito para cantar junto, retrata esse coração. Paulo no livro de Efésios escreveu que o cântico espiritual é uma expressão de alegria, e que cantar hinos e louvores é uma edificação, graças e oração de um coração disposto e alegre.

 “Volta pra casa. Volta pra igreja. Rasga do peito a vergonha e a dor”

A música “O Amor que cura” nos remete ao caráter da natureza do coração distante de Deus, arrependido e humilde. No livro de Mateus, Jesus expôs a gravidade do pecado no coração, quando se arrefece, e o único jeito que Ele achou para o coração pecaminoso é a regeneração. Um coração regenerado, que se arrepende dos seus pecados, volta-se para Deus, e pela fé aceita a Jesus como seu Salvador. A regeneração está ligada ao coração, pois, de acordo com o livro de Romanos, “aquele que de todo coração se arrepende e confessa que Jesus é Senhor, nasce de novo, e recebe da parte de Deus um novo coração”. Isso resume toda a lei de Deus.

“Não espero perfeição, quero o teu amor. Não abro mão de você”

Por fim, a última faixa “Você Merece” retrata o coração apaixonado, responsável pelo fenômeno neurobiológico que envolve duas pessoas em apenas um laço, que unidos, inunda o cérebro de amor. No livro de Cantares, há uma passagem a respeito do amor inalterável do esposo para com a esposa, em que na espécie humana, não há nada que seja mais poderoso e bonito do que o amor mútuo entre um homem e uma mulher, desde que, na união, estejam realmente comprometidos um com o outro.

Fugindo de visões deturpadas e unidirecionais, o CD se tornou uma jóia melódica peculiar e inteligente, justamente por trazer todas essas referências de “coração” disposto na Bíblia e imprimir cada aspecto em diferentes canções. Todo o disco se torna uma oração para que possamos seguir a Deus e conhecer os seus caminhos, sem nos desviarmos dele. E se isso acontecer, que tenhamos capacidade para reavaliar nossas prioridades e orarmos por uma renovação genuína de amor e compromisso ao Senhor, com toda diligência. Que possamos ter sempre – independente do que Hipócrates diz – um coração quebrantado.

Sobre o Autor

Rodrigo Berto

Adicionar comentário

Clique aqui para deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *